sexta-feira, 15 de dezembro de 2017
Início >> Arrastão do Pavulagem >> Arrastão da despedida com derrubada dos mastros de São João
Foto: Dah Passos

Arrastão da despedida com derrubada dos mastros de São João

Uma estrela azul brilha no céu de Belém durante a quadra junina. É São João abençoando o boi encantado que faz o povo se orgulhar de sua cultura e identidade. Agora, paraense tem mais um motivo para se orgulhar: o Arraial do Pavulagem é Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial de Belém em votação unânime do projeto de lei na Câmara Municipal de Belém no último dia 27 de março. Patrimônio que será celebrado no encerramento dos festejos neste domingo (2) durante a derrubada dos mastros juninos no último Arrastão do Pavulagem de 2017.

A festa da cultura amazônica vai começar bem cedo. A partir das 9h, a Banda de Sopros da Associação Musical de Santa Cruz do Arari se apresenta na escadinha da Estação das Docas com um repertório que vai de Dona Onete e Lia Sophia, passando pelas lambadas e pelos clássicos do brega paraense como “Ao Pôr do Sol”, além de reverenciar as canções do Pavulagem.

Na Praça dos Estivadores, o Grupo de Carimbó Sancari pede passagem com os sons dos tambores para iniciar a cerimônia de derrubada dos mastros, simbolizando o encerramento da quadra junina. Mas antes de derrubá-los, tem o desafio de subir nos mastros e recuperar a bandeira de São João lá no alto, uma brincadeira inspirada nas festividades de santo do interior do Pará. É o domingo também de festejar os últimos momentos da quadra junina e de lembrar com emoção como foi cada um dos cortejos. É tempo de renovar as energias para o futuro que se aproxima, seguindo com a esperança em futuro melhor e menos desigual. É o momento de renovar os laços de afeto que unem homens, mulheres e crianças ao redor do Boi Azul, partilhando a alegria de ser Pavulagem. Temporada de amor que reúne a família Igreja todos os anos para brincar com o Boi Pavulagem.

“É maravilhoso poder ter a família perto, compartilhando isso com a gente”, diz Cristina Igreja. Já para a irmã dela, Beth, a experiência de participar de cada etapa dos cortejos também aproxima família. “A gente vive nessa loucura do dia a dia, sempre correndo, que acaba se vendo mais no Pavulagem do que em casa, é uma forma de estarmos mais perto um do outro”, acredita Beth. A filha de Cristina, Lígia, segue os passos da mãe, tocando marabaixo no Batalhão da Estrela, partilhando os cantos, os sorrisos e a emoção nos cortejos em cada ressoar dos tambores. “É muito bom ver que o amor pela cultura popular na nossa família prevalece e ainda vive”, diz ela que cresceu entre manifestações populares.

Valorização de 30 anos de história

O reconhecimento como patrimônio cultural de Belém valoriza os 30 anos de trabalho do Pavulagem em construir uma quadra junina exaltando as cores, os ritmos e os saberes da nossa terra. O compromisso continua após três décadas de desafios, apostando na capacidade transformadora da cultura, honrando a memória de quem ajudou a construir essa história e contribuindo para um mundo melhor de se viver inspirada na sabedoria dos grandes mestres populares da Amazônia e do Brasil. “É o resultado desse trabalho de dedicação para a difusão e o fortalecimento da cultura brasileira praticada em nossa região. Nesse momento, nos resta compreender a tarefa de continuar aprimorando nossas metas e organizando esse sonho lindo que é o Arraial do Pavulagem. Vida longa e entusiasmo para todos nós”, diz Ronaldo Silva, um dos fundadores do grupo.

 

O Arrastão do Pavulagem contribui para manter viva a memória oral tradicional, tão importante para a formação da identidade das novas gerações, em particular daquelas que vivem condicionadas ao espaço urbano, trazendo para partilhar com o coletivo a herança do folguedo do Boi-Bumbá, os estandartes de santos, mastros, bonecos cabeçudos, ritmos, cores, danças, cantos e cheiros característicos da região, com o intuito de reunir e alegrar a cidade. O projeto conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Belém, Fundação Cultural do Pará, Estação das Docas, Fundação Hemopa e Santa Casa de Misericórdia.

 

 

Percurso da alegria e show na Praça da República

Logo após a derrubada dos mastros, o Batalhão da Estrela sobe a Avenida Presidente Vargas colorindo e alegrando a rua com os sons e os bailados das quadrilhas, das toadas de boi e do carimbó em um festejo com destino definido: a Praça da República tomada de gente que se encontra domingo após domingo para cantar e dançar com a banda Arraial do Pavulagem.

 

Confira a programação do dia:

9h – Banda de Sopros da Associação Musical de Santa Cruz do Arari na escadinha da Estação das Docas

9h30 – Apresentação do Grupo de Carimbó Sancari e derrubada dos Mastros de São João na Praça dos Estivadores

10h – Saída do cortejo com destino à Praça da República

11h30/12h – Show do Arraial do Pavulagem e convidados na Praça da República

Translate »