QUEM SOMOS

– O Arraial do Pavulagem –

O projeto nasceu em junho de 1987, a partir do encontro de um grupo de músicos e compositores na Praça da República para divulgar, compartilhar e enaltecer a música autoral produzida na Amazônia, reunidos ao redor de um pequeno boi-bumbá batizado de “Boi Pavulagem do Teu Coração”. A brincadeira passou a atrair cada vez mais gente e o Boi Pavulagem passou a incorporar novas linguagens artísticas e elementos musicais em sua festa, para dar origem a uma manifestação cultural popular e diversa que faz da rua o seu terreiro, o seu arraial, onde o público é convidado a compartilhar o olhar encantado que o Boi Pavulagem tem pela nossa região.

– A Banda –

A banda Arraial do Pavulagem é o resultado direto da reunião dos músicos que deram início à manifestação cultural na Praça da República. Hoje liderada por Junior Soares e Ronaldo Silva, a banda dá continuidade à missão de valorizar e enaltecer a cultura popular produzida na Região Amazônica, com um repertório que é resultado da pesquisa musical de ritmos e linguagens sonoras que os integrantes realizam desde os anos 80, além de canções clássicas do grupo que já fazem parte do imaginário popular das festas juninas de Belém. Com oito discos lançados, um DVD e um livro de partituras com boa parte da obra musical, o grupo se prepara para lançar o nono disco, revisitando ritmos, instrumentos e sonoridades que marcaram os mais de 30 anos de estrada.

– O Instituto –

O Instituto Arraial do Pavulagem é uma organização autônoma da sociedade civil e sem fins lucrativos. Criado em 2003, o Instituto desenvolve ações de educação cultural que contribuem para transmitir e fortalecer o saber oral tradicional da Amazônia, através de linguagens como a dança, a música e a visualidade cênica, além de projetos como oficinas, palestras, seminários, pesquisas, projetos de extensão, rodas cantadas, ensaios, mostras e shows. O Instituto é responsável pela realização do “Arrastão do Pavulagem” e, a partir dele, desenvolveu brinquedos populares que também resultam na realização de cortejos culturais, como o “Arrastão do Círio”, o “Cordão do Peixe-Boi” e o “Cordão do Galo” na cidade de Cachoeira do Arari.